Escrever para transformar.

  • Matheus de Aguiar Soares Lima

Ouvir para progredir



Li recentemente nas redes sociais a seguinte frase "A maravilha do feedback é que até quando é ruim, é bom".


Exige uma certa maturidade e resiliência, mas difícil discordar, não?


Acredito que estamos mais propensos a evoluir a partir do momento em que nos colocamos mais vezes em uma posição de ouvinte.


Plutarco, filósofo grego (42 a 120 d.C), escreveu um dia que, “saber ouvir é um passo fundamental para aprender a pensar”.


Claro, que é importante termos resiliência e balancearmos o peso de cada palavra que ouvimos, até porque um feedback não é uma verdade absoluta, mas sim a visão de um indivíduo em especial, sobre você em algum aspecto.


Assimilar, considerar e analisar o que está sendo dito é bem diferente de apenas... ouvir


 O significado de ouvir remete ao sentido da audição, é aquilo que o ouvido recebe. Entretanto, o verbo escutar corresponde ao ato de ouvir com atenção.


Sendo assim, escutar é entender o que está sendo captado pela audição, somado ao esforço de compreender e processar a informação internamente.


Você se considera um bom ouvinte?


Você se distrai enquanto outras pessoas estão falando com você? Fica respondendo e-mails ou usando o celular e dialogando ao mesmo tempo?


Eu confesso que as vezes ao longo do meu dia, me flagro conversando e fazendo uma ou mais coisas ao mesmo tempo. Aliás, é fácil afastar-se ou distrair-se antes mesmo que a outra pessoa tenha terminado a primeira frase.


Você sabia que, nos dias de hoje nossa capacidade de atenção já é mais curta que a dos peixinhos dourados? 


Cientistas estimam que peixinho dourado consiga manter a atenção por nove segundos; pesquisadores afirmam que nossa atenção hoje é mantida por oito.


Isto é o que diz uma pesquisa realizada pela Microsoft, o qual, segundo a empresa, a culpa é da tecnologia com seus dispositivos portáteis e mídias digitais.


3 dicas para se tornar um melhor ouvinte


Gostaria de compartilhar as dicas da psicóloga e escritora Dra. Diana Raab, em seu livro Writing for Bliss: A Seven-Step Plan for Telling Your Story and Transforming Your Life

(sem tradução para o português), ela pesquisou variadas histórias e aprendeu algumas coisas sobre se tornar um ouvinte melhor.


Repetir

Em suas próprias palavras, repita o que a pessoa com quem está conversando está dizendo. Esta atitude é conhecida como “reflexão empática”, descreve a Dra. Raab.


 Este efeito de eco na conversa ajuda de várias formas a melhorar a escuta profunda, se permitindo um tempo maior para assimilar e processar o que lhe foi dito, além de lhe impedir de criar conclusões precipitada.


Ao repetir o que o outro está dizendo, você se deixa entrar em seu mundo por alguns minutos e estabelece assim,numa relação empática com a outra pessoa.


A dra. Raab afirma também que “ouvir é contagioso. Quando ouvimos os outros, as chances são de que eles estarão mais inclinados a nos ouvir”.


Linguagem corporal


Você sabia que 80% da nossa comunicação é não verbal? Através das expressões faciais é possível saber se a pessoa com quem está conversando está ou não interessada no que está dizendo.


 Existem maneiras de aprimorar suas habilidades de escuta através da linguagem corporal, uma das dicas da Dra. Raab para uma boa linguagem corporal auditiva é manter o contato visual, “Olhe nos olhos dos outros quando eles estão falando”.


Acenar com a cabeça, inclinar-se para o orador, desdobrar os braços e manter-se em uma posição mais aberta, também são gestos que transmitem uma abertura geral ao diálogo, demonstrando interesse e envolvimento.


 Se começou a refletir e chegou a conclusão que não é o maior conhecedor em linguagem corporal, fique tranquilo pois trata-se de uma habilidade que pode ser treinada e aprimorada a medida que se pratica.


Escute para entender


Você sabia que existe um pequeno atraso entre o que ouvimos e o que entendemos? E que esse tempo dura alguns segundos mas pode chegar até um minuto, dependendo da sua habilidade de escuta. Esta é a conclusão de um estudo realizado por Charles G. Gross em 2010.


 Um outro estudo conduzido por Faye Doell em 2003 mostrou que existem dois tipos diferentes de escuta – ouvir para entender e ouvir para responder.


Aqueles que ouvem para entender têm maior satisfação em suas relações interpessoais do que outros. Enquanto as pessoas pensam que podem estar ouvindo para entender, o que realmente estão fazendo é ficar esperando para responder.


Quando você ouve com o intuito de responder, além de agir por impulso, você não se permite processar apropriadamente a mensagem recebida.


Portanto, mesmo que houver uma pausa durante a conversa, dê um passo atrás e trabalhe para entender o que o outro disse. 


Que tal aproveitar a deixa e pedir a um amigo ou o seu gestor um feedback de como somos ou como estamos indo e exercitar essa habilidade de ouvir?


Espero que tenham gostado do texto e estou interessado a ouvir a opinião de vocês sobre o assunto.


Um abraço,

Matheus de Aguiar


OBS: para quem quiser saber mais sobre linguagem corporal é indico um vídeo do TED "A nossa linguagem corporal moda quem somos" da especialista Amy Cuddy. (https://www.ted.com/talks/amy_cuddy_your_body_language_shapes_who_you_are?language=pt)


Fontes:

28 visualizações0 comentário